quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

A história secreta do Ano Novo

Uma crise econômica global esquecida pela humanidade deu origem à festa da virada há milhares de anos. E mais importante: é graças ao Ano Novo que você está vivo


Para sair da crise, os governos imprimem dinheiro.
Nossos ancestrais fizeram o mesmo: imprimiram comida

A sensação é poderosa. No dia 31 de dezembro você sabe que um ano zero-quilômetro vai tomar o lugar do velho, que já deu tudo o que tinha que dar. Hora de todo mundo se reunir para ver fogo no céu, fazer oferenda para Iemanjá, pular sete ondinhas, abraçar qualquer estranho que estiver por perto. É a maior festa da humanidade. A grande celebração ao ciclo da vida, que agora recomeça.
Mas espera um pouco. Que ciclo? Que recomeço? A geometria da vida é implacavelmente reta: você fica mais velho a cada virada de ano e pronto. Não acontece nada de sobrenatural na meia-noite do dia 1. Concorda? Se você pensou “Concordo”, provavelmente está mentindo. Para si mesmo, até. A ilusão de que as viradas de ano significam algo – algo grande e bom – é universal. E é graças a ela que você está aqui, vivo.
Isso porque cada um de nós descende de alguém que sobreviveu à maior crise econômica da história. A única que teve potencial para riscar a humanidade da face da Terra. Ela aconteceu há milhares de anos, quando a única coisa que nós conhecíamos como trabalho era caçar. Às vésperas de 11000 a.C., o modo de vida dos caçadores estava no auge. O homem, àquela altura, tinha uma arma contra a qual nenhum outro predador contava: a religião. Não exatamente aquilo que vem à nossa cabeça quando pensamos em religião, mas algo realmente abstrato: a ideia de acreditar que existe alguma coisa maior, além da vida. Isso é um instinto básico da nossa mente. E por ser algo comum a todos, ele tornava as tribos mais coesas em torno nos ritos espirituais e divindades que cada uma criava. Agora, unidos, cada vez mais numerosos e habilidosos, os Homo sapiens tinham virado os maiores predadores que a Terra já vira. Era um momento de euforia. Só que, como toda euforia, essa também era irracional.
A caça indiscriminada tinha diminuído a quantidade de animais selvagens disponíveis por aí. Para piorar, um miniaquecimento global fez rarear presas das boas, como bisões e mamutes (nota: daquela vez o aquecimento não foi culpa nossa, era só o fim de mais uma Era Glacial). O ponto é que a escassez de proteína animal colocou em xeque o modo de vida dos nossos avós caçadores.
Isso não aconteceu de uma tacada só no planeta todo, note bem. Naqueles dias a vida era em tribos de 100, 150 pessoas quem quando entravam em contato umas com as outras, era para guerrear. Cada uma viveu uma escassez a seu tempo. E foi mais de uma. Só que, olhando daqui de longe, a junção desses problemas esparsos pode ser vista como uma grande crise global.
Mas e para sair dessa crise? Bom, a solução foi parecida com a de hoje. O que os bancos centrais fizeram em 2009 foi imprimir dinheiro. Em 11000 a.C. decidiram imprimir outra coisa: comida. Na terra. Cultivar sementes e esperá-las crescer era o jeito de conseguir as calorias que a caça não dava mais.
Só que aí veio uma surpresa: essa técnica, a agricultura, permitia sustentar de 10 a 100 vezes mais pessoas no mesmo espaço físico. Os que optaram por esse caminho cresceram e se multiplicaram. Mas eles só conseguiram isso porque inventaram um novo deus: o calendário.
No culto da passagem dos dias esperando as sementes darem fruto, a humanidade descobriu um ótimo método para saber as épocas certas de plantar: observar a posição das estrelas e a trajetória do Sol ao longo do ano. Fazer a leitura do céu era tão essencial para a agricultura que povos de todos os cantos do mundo aprenderam isso mais hora menos hora. E assim dominaram algo que parecia sobrenatural: os ciclos do tempo. Mas pragmatismo científico nunca foi o nosso forte como espécie. E é por isso que o céu foi tratado como divindade. Só o fato de você saber seu signo já se trata de uma herança dessa época – as 12 constelações do zodíaco são nada mais do que conjuntos de estrelas mais usados para marcar as estações do ano.
É esse mesmo impulso de divinizar as coisas que levou à felicidade instintiva de se entregar a rituais como pular sete ondas. É esse impulso que faz a vida parecer feita de ciclos. As colheitas é que são de fato cíclicas. Ao divinizá-las, nossos ancestrais imprimiram na cultura humana a ideia de que a própria vida se renova a cada ano. E festejar essas renovações era fundamental para que continuássemos vivos. Olha só. O Ano Novo é uma das festas para marcar a auge do frio no Hemisfério Norte – a outra é o Natal. Na ausência de um instinto biológico tão forte quanto o das formigas para acumular comida para o inverno, a sensação de que um evento superimportante estava para acontecer bem no meio da estação fria fazia nossos ancestrais agir exatamente como elas, economizando para ter banquetes na época de fome. E cada geração transmitiu para suas crianças que aquele era o momento mais especial do ano. Era mesmo. E ainda é. Trata-se do momento em que comemoramos a sobrevivência da espécie humana. Pelo menos até a grande crise chegar. Ou ela já chegou?

Texto: Alexandre Versignassi/Rodrigo Rezende/Superinteressante/Janeiro 2010

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Fim de ano: comemore com consciência


O fim de ano é sempre movimentado pelas confraternizações no trabalho, festas com amigos e família. É nesta época, também, que aumentamos nosso consumo em todos os sentidos. Portanto, esta é um período no qual devemos prestar atenção especial à conservação da natureza.

Veja abaixo dicas simples de como diminuir o impacto das festas de final de ano:
  • evite papéis laminados e com purpurina, pois não podem ser reciclados;
  • embrulhe os presentes em papéis simples e utilize o que sobrar para fazer suas próprias etiquetas "de/para";
  • envie cartões de Natal eletrônicos e previna o desperdício de papel;
  • pegue sacolas plásticas apenas quando necessário. Se possível, prefira os sacos de papel;
  • utilize ornamentos naturais na decoração de Natal, como pinhos e fibras;
  • recicle latas e garrafas vazias depois das festas, além das embalagens de seus presentes.
Fonte: WWF Brasil

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Investidores chineses interessados em abrir empresas em Duque de Caxias

Samuel Maia sela parceria com a China

Os chineses em breve poderão investir em Duque de Caxias. A aproximação aconteceu na última sexta-feira, 17 de dezembro, após palestra do secretário municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento, Samuel Maia, no Instituto Eventos Ambientais, no centro do Rio de Janeiro. Na ocasião, um grupo de chineses da província chinesa de Henan se interessou pela apresentação, e antes de deixar o Rio de Janeiro, assinou uma carta de intenção com a cidade. Samuel Maia foi convidado pelo professor Francisco Carrera, diretor de pós-graduação da Universidade Cândido Mendes, para falar de agricultura e meio ambiente.
Os chineses prometeram se empenhar para conseguir investidores e convidaram o prefeito José Camilo Zito (PSDB) e autoridades para visitar a província em maio do próximo ano. Henan, com 2,2 milhões de habitantes destaca-se na economia chinesa. Produtora de bauxita, carvão e ouro, e conhecida também pela cultura, turismo e a culinária.


Samuel Maia destacou meio ambiente e agricultura no encontro

Da comitiva chinesa convidada para assistir à palestra sobre agricultura e meio ambiente participaram o vice-prefeito de Sanmenxia, Wang Jianxun, que se interessou em investir no município após conhecer o potencial da cidade; o prefeito de Lingbao, Zanpeng Li; e o vice-prefeito de Yima, Miao Wanqing. O encontro contou ainda com o representante do Ministério da Agricultura, Gustavo Moura, e da Associação Comercial e Empresarial de São Gonçalo, Marcelo Santos.
No documento assinado sábado, 18, os interessados destacam que “a atração comercial, tecnológica, cultura, trabalhos de meio ambiente, de intercâmbio e mão-de-obra, entre outros fatores poderiam gerar um excelente crescimento para ambas as cidades”.
Para Samuel Maia, o interesse dos chineses em investir em Duque de Caxias mostra o crescimento da cidade nos últimos dois anos. “O prefeito Zito está de braços abertos para receber investidores. Estamos crescendo na agricultura familiar, na geração de empregos com carteira assinada na indústria e no comércio e na mão-de-obra local com a qualificação profissional", destacou.

Samuel Maia (à direita), Francisco Carrera e Wang Jianxun trocam presentes

Texto: Paulo Gomes
Fotos: Willy Rangel

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Saiu no jornal

Confira matéria publicada no caderno "Baixada" do jornal "O Dia" em 19 de dezembro de 2010.

Das hortas da Baixada para a merenda dos estudantes
Agricultores de Caxias e de Belford Roxo vão produzir legumes e verduras para escolas



Plantação de quiabo, em Xerém. Caxias tem 130 agricultores habilitados

Legumes e verduras utilizados na merenda escolar de Belford Roxo e de Duque de Caxias serão comprados dos produtores do Programa de Agricultura Familiar. Os municípios iniciaram o processo para o cumprimento da Lei Federal 11.947, de 16 de junho de 2009, que prevê que 30% da merenda oferecida pelas redes públicas sejam provenientes da agricultura familiar.
Em Caxias, 130 agricultores já estão habilitados para fornecer a produção. Eles fazem parte do assentamento Terra Prometida, em Xerém, das comunidades Tabuleiro, Piranema, Taquara, Capivari e Chapéu do Sol. Em Belford Roxo, cerca de 50 agricultores participaram de seminário esta semana que esclareceu dúvidas sobre como dar início ao processo para a formação de uma associação.
O secretário de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento de Duque de Caxias, Samuel Maia, disse que o governo busca facilitar o trabalho do agricultor em comunidades de difícil acesso. “Estamos trabalhando arduamente para tornar a Baixada Fluminense o celeiro da Região Metropolitana. A primeira chamada pública para a compra já foi feita”, informa Samuel Maia.
O secretário de Desenvolvimento Econômico de Belford Roxo, Fábio Suhett, acredita que o estreitamento do elo do poder público com os agricultores, poderá gerar trabalho e renda. “Precisamos dar apoio aos agricultores locais para que eles possam ter condições de produzir novamente. Melhoria de infraestrutura, escoamento da produção e assistência técnica são alguns dos incentivos. A terra é fértil e nós temos espaços excelentes para a produção agrícola. Muitos deles pararam por falta de condições de trabalho”, disse Suhett.

Texto: "O Dia", caderno "Baixada", página 8, 19.12.2010
Foto: Willy Rangel/SMMAAA/24.06.2010

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Abastecimento de gás ganha solução ecológica no interior de Pernambuco

Assista à matéria exibida no "Jornal Nacional" na segunda-feira, 6 de dezembro, sobre o uso do biodigestor no sertão de Pernambuco. O biogestor transforma matéria orgânica em gás de cozinha. A tecnologia é simples, barata e está sendo instalada gratuitamente por voluntários. O biogás não tem cheiro e o fogo é mais intenso.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Meio Ambiente promove atividades de preservação

Parte do lixo recolhido no mutirão do Parque da Taquara

Atuando no município com parceiros importantes, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento (SMMAAA) participou no final de semana de eventos e atividades que mostram a preocupação das pessoas com a preservação do meio ambiente e seus recursos naturais. Todas as ações contatam com a presença do secretário Samuel Maia e de membros do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (COMDEMA).
Na manhã de sábado, 11 de dezembro, Samuel Maia esteve na formatura do curso de extensão sobre recursos hídricos, realizada na Uerj/Caxias, no bairro Vila São Luís. Foram 50 estudantes que receberam certificados do curso ministrado por professores universitários das redes federal e estadual, a de profissionais especializados das redes municipal e estadual. Ele destacou a preocupação das pessoas com as águas disponíveis para uso na região.
À tarde, Samuel Maia e o secretário-executivo do COMDEMA, Marcelo Aranda, foram à reunião de avaliação do trabalho em 2010 dos participantes do Processo Apell em Campos Elíseos. Na ocasião, convidado como palestrante, Aranda falou sobre a Agenda 21, um dos principais resultados da Conferência Eco-92, que estabelece a importância de cada país a se comprometer para o estudo de soluções para problemas sócio-ambientais.
No domingo, mesmo com um número reduzido de voluntários, o secretário comandou o mutirão para limpeza da cachoeira da Taquara. A ação havia sido cancelada pela falta de participantes e, mesmo assim, foi realizada. Das 9h às 14h, os 17 voluntários e membros do grupo Trilhas Quase Secretas, da Capital, recolheram mais de 300 quilos de plásticos, garrafas pet e de vidro, latinhas de alumínio, fraldas descartáveis e utensílios abandonados por membros de seitas religiosas que freqüentavam o Parque Natural Municipal de Taquara e hoje têm um local específico para encontros. O fim do mutirão foi comemorado com mergulho em uma das piscinas naturais do parque.

Samuel Maia (à esquerda) recebe parte do grupo de voluntários

Texto: Paulo Gomes/Assessoria de Comunicação PMDC
Fotos: George Fant/Assessoria de Comunicação PMDC

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Definição de pacote na Conferência do Clima fortalece multilateralismo

Sistema de negociação da ONU vinha desacreditado.
COP 16, em Cancún (México), superou sombra de Copenhague e terminou no sábado

A aprovação de um pacote de medidas na Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP-16) deu novo impulso ao sistema de negociações multilaterais, desacreditadas no âmbito das discussões climáticas, pelos poucos resultados práticos.
A COP 16, em Cancún, no México, conseguiu aprovar, na madrugada deste sábado, um pacote de decisões sobre ações para enfrentar as causas e efeitos das mudanças climáticas.
Entre as principais medidas aprovadas está a criação de um "Fundo Verde", um mecanismo para que os países ricos ajudem financeiramente os mais pobres na luta contra as mudanças climáticas.
A reunião final teve clima muito otimista. "O que a maioria das partes queria era fazer um número substancial de decisões aqui em Cancún, para salvar todo esse processo, mostrar que ele pode trazer resultados. Acho que vimos isso aqui em Cancún", comemorou a negociadora-chefe do bloco europeu, Connie Heedegard. A ministra do Meio Ambiente, Izabela Teixeira, deu nota 7,5 ao acordo obtido no balneário mexicano.
Fonte: G1.com.br/11.12.2010

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Mutirão no Parque da Taquara vai mobilizar 200 voluntários

Cerca de 200 voluntários são esperados neste domingo, 12 de dezembro, para o mutirão de limpeza da cachoeira do Parque Natural Municipal da Taquara, em Duque de Caxias. A ação de preservação ambiental vai contar com a participação de jovens e adultos de organizações e movimentos ecológicos, além de voluntários do processo Apell. Em setembro, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento (SMMAAA) realizou um mutirão para limpeza das trilhas e das margens do rio Taquara, que corta a reserva ambiental.
À frente do mutirão estarão o secretário Samuel Maia e o diretor do Parque da Taquara, Marlos Campos, que estão preparando o local para os visitantes. Com a chegada do verão, o Parque da Taquara recebe cerca de 5 mil pessoas nos finais de semana, moradores da região e da Baixada Fluminense. “Durante a ação, faremos um trabalho de conscientização junto aos freqüentadores para manutenção da limpeza do parque que ocupa uma área de 200 mil metros quadrados”, disse Samuel Maia.
Texto: Paulo Gomes/Assessoria de Comunicação PMDC

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Município forma técnicos agrícolas


Município formou 33 técnicos agrícolas


Mais uma parceria entre os governos municipal, federal e estadual acaba de ser concluída. Foi o curso de Técnicas Agrícolas que formou 33 moradores do município, entre eles cinco portadores de necessidades especiais. Durante o curso promovido pela Secretaria Municipal de Trabalho, Emprego, Renda, Ciência e Tecnologia e pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento (SMMAAA) , os alunos tiveram aulas de cidadania e Técnicas Agrícolas e receberam todo o material didático, lanche e uniforme. A formatura foi no dia 28 de novembro.
O curso foi realizado na Escola Municipal Santo Agostinho, em Xerém, e teve duração de dois meses e meio. Nas aulas, os alunos vivenciaram experiências práticas em diversas propriedades locais, em atividades como: piscicultura, avicultura, suinocultura e outros. Haverá, ainda, o encaminhamento para o mercado de trabalho.
Ao ato de entrega de certificados compareceram, entre outras autoridades, o secretário municipal de Trabalho, Emprego, Renda, Ciência e Tecnologia, Jorge Cezar de Abreu, o representante do Governo do Estado, Antônio Carlos Morett, e a diretora da escola Municipal Santo Agostinho, Ana Paula.
A aluna Graziele Pereira da Rocha, 30 anos, moradora do bairro Amapá, acredita que a qualificação é o ponto forte para a entrada no mercado de trabalho. “Conhecimento nunca é demais, é muito importante essa iniciativa da Prefeitura, nunca tivemos esta atenção do governo municipal”, disse Graziele.
O aluno Clério Gonçalves, 64 anos, morador do mesmo bairro, acha muito importante esse processo de qualificação. “Nossa população precisa de mais cursos como esse”, comemora Clério.
A parceria faz parte do Plano Territorial de Qualificação, realizado com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), do Ministério do Trabalho e Emprego.

Texto: Paulo Gomes/Assessoria de Comunicação PMDC
Foto: divulgação

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Desenvolvimento sustentável em pauta em Duque de Caxias

Seminário aconteceu nesta quarta-feira no bairro 25 de Agosto

Com o objetivo de abordar as principais questões ambientais da atualidade e o desafio de integrar progresso e sustentabilidade, foi realizado em Duque de Caxias o 1º Seminário Integrado Ecologia, Saúde e Desenvolvimento Sustentável, organizado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento (SMMAAA). O evento, realizado nesta quarta-feira, 8 de dezembro, e que contou com aproximadamente 100 pessoas, permitiu que vários setores da sociedade e do governo pudessem se reunir e discutir propostas visando a integrar progresso e sustentabilidade.
Durante a abertura, o secretário municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento, Samuel Maia, destacou a importância da realização do seminário e que espera que o evento seja o início de uma rede de proteção à natureza. Ele aproveitou a ocasião para lançar o movimento “Rio EmBaixada pela Paz”, com o objetivo de criar políticas que melhorem a qualidade de vida na Baixada Fluminense. “A Baixada é um lugar de vida, de pessoas que produzem políticas para melhorar a qualidade ambiental”, disse.
O seminário, que teve como tema “Biodiversidade, cidadania e qualidade de vida”, começou com a palestra “Biodiversidade e preservação de espécies”, ministrada por Gustavo Esteves, diretor do Biomar.
Em seguida, o professor e pesquisador da UFRJ Davis Ferreira falou sobre “Saúde global – Qualidade de vida” em uma exposição que enfatizou que problemas de saúde não têm fronteiras, que a saúde das populações deve ser estudada em um contexto global e que existe uma área da ciência que estuda melhorias no tratamento da saúde, transcendendo as perspectivas e preocupações dos governos dos países.
Davis Ferreira, da UFRJ, falou sobre saúde e meio ambiente
A presidente do Instituto Baía de Guanabara, Dora Negreiros, foi a terceira a fazer sua intervenção, onde falou sobre histórias, mostrou mapas e fotografias e citou os vários problemas resultados por anos de poluição. “Os principais problemas da Baía de Guanabara são o lixo e o esgoto doméstico, mas o esgoto doméstico jogado na baía só fez aumentar nos últimos 20 anos”, ressaltou.
Dora Negreiros, presidente do Instituto Baía de Guanabara durante palestra

Em sua palestra, o ganhador do prêmio Global 500 das Nações Unidas Vilmar Berna lançou seu mais recente livro, “Amigos do Planeta” e ao falar sobre “Educação ambiental e consciência social”, ressaltou a importância de se conciliar para amenizar o conflito entre desenvolvimento e sustentabilidade.
Ganhador do prêmio Global 500 de 1999, Vilmar Berna lançou um livro durante o seminário

Em seguida, o publicitário Sergio Almeida apresentou cases de sucesso sobre sustentabilidade. A última a falar foi a consultora internacional Cecy Fontes, que abordou o tema “Desenvolvimento social, cultura da paz e cidadania”.
A próxima edição do seminário deve acontecer em maio de 2011.

Público participou ativamente do seminário

Texto e fotos: Willy Rangel

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Seminário sobre meio ambiente e sustentabilidade nesta quarta em Caxias


Acontece nesta quarta-feira, 8 de dezembro, a partir das 8h, o 1º Seminário Integrado Ecologia, Saúde e Desenvolvimento Sustentável, organizado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento (SMMAAA).
O evento, que terá como tema “Biodiversidade, cidadania e qualidade de vida”, abordará as principais questões ambientais da atualidade e o desafio de integrar progresso e sustentabilidade.
O seminário terá palestras com os seguintes temas: “Biodiversidade e preservação de espécies”, “Saúde global e qualidade de vida”, “Baía de Guanabara: realidade e perspectivas”, “Empresa e responsabilidade social”, “Desenvolvimento social, cultura da paz e cidadania” e “Educação ambiental e consciência social”.
O 1º Seminário Integrado Ecologia, Saúde e Desenvolvimento Sustentável acontece nesta-quarta-feira, 8 de dezembro, no Auditório do Mont Blanc Apart Hotel, na Rua Passo da Pátria, 105, bairro 25 de Agosto, Duque de Caxias. As inscrições são gratuitas, e os interessados em participar podem obter mais informações no Colégio Esfera (Av. Dr. Plínio Casado, 140, sala 168, Centro, Duque de Caxias), pelos telefones 4128-0236 e 2138-4911, pelo celular 9191-9595, ou pelo e-mail caxiasmaisverde@gmail.com.

Confira abaixo a programação:

08h30 Credenciamento
09h00 Abertura
09h30 Parte I
Biodiversidade e preservação de espécies
Prof. Gustavo Esteves (Diretor do Biomar)
Saúde global e qualidade de vida
Prof. Davis Fernandes Ferreira (Docente e pesquisador UFRJ)
Baía de Guanabara: realidade e perspectivas
Dra. Dora Hees Negreiros (Instituto Baía da Guanabara)

11h00 Coffee break

11h15 Parte II
Empresa e Responsabilidade Social
Dr. Edson Ricardo da Cunha (Petrobras)
Desenvolvimento social, cultura da paz e cidadania
Profª. Cecy Fontes (consultora internacional)
Educação ambiental e consciência social
Vilmar Berna (Editor da Revista Meio Ambiente/Prêmio Global 500 da ONU)

12h30 Perguntas e Respostas
13h00 Encerramento

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Seminário destaca ecologia, saúde e desenvolvimento sustentável



A Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento (SMMAAA), em parceria com o Instituto Baía da Guanabara e a Associação Brasil Ecologia, irá promover o 1º Seminário Integrado Ecologia, Saúde e Desenvolvimento Sustentável, que irá acontecer nesta quarta-feira, 8 de dezembro, a partir das 8h, no Salão Ouro do Mont Blanc Apart Hotel, em Duque de Caxias.
O evento, que tem como tema “Biodiversidade, cidadania e qualidade de vida”, visa a discutir a viabilidade do estabelecimento de um pacto estratégico que possa propiciar uma rede integrada de desenvolvimento sustentável para a Baixada Fluminense.
“Saúde, meio ambiente, educação, desenvolvimento e cidadania serão temas que discutiremos no seminário. A oportunidade é para trocarmos ideias, experiência, propostas e, ao mesmo tempo, fortalecer a nossa união e solidariedade pela paz na Baixada Fluminense e em todo estado do Rio de Janeiro”, destacou o secretário municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento, Samuel Maia.
Na ocasião, o jornalista Vilmar Berna, editor da revista "Meio Ambiente" e ganhador do prêmio Global 500 da ONU, estará lançando seu livro "Comunicação Ambiental – Reflexões sobre Comunicação e Educação Ambiental para Sustentabilidade".
O Mont Blanc Apart Hotel fica na rua Passo da Pátria, 105, bairro 25 de Agosto, Duque de Caxias. Interessados devem se inscrever através do e-mail
caxiasmaisverde@gmail.com.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Brasil vai cobrar resultados em conferência do clima, diz ministra

COP 16 está sendo realizada no México, desde 29 de novembro.
Izabella Teixeira afirmou que país fez dever de casa na questão climática
A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, disse que o Brasil terá uma postura "construtiva e facilitadora", mas que também cobrará resultados na 16ª Conferência das Partes da Convenção da Organização das Nações Unidas para a Mudança do Clima (COP 16), que acontece em Cancún, no México, de 29 de novembro a 10 de dezembro.
De acordo com a ministra, a posição do Brasil é "de negociar e 'cobrar', de fazer avançar a agenda do clima e não permanecer em uma situação de inércia, que leve a uma situação completamente indesejável, que todo mundo continue emitindo sem nenhum acordo global", afirmou Izabella Teixeira.
Para a ministra "é por aí que, 'vamos cobrar' um comprometimento para uma solução". Na Conferência, o Brasil espera a aprovação de um pacote balanceado de decisões, que signifiquem um avanço nas negociações e a pavimentação para um futuro acordo global.
De acordo com o ministério, o objetivo em Cancún é evoluir em etapas e fechar acordos específicos. O Brasil, segundo o ministério, quer um pacote equilibrado, com ações de mitigação, adaptação, financiamento, transferência de tecnologia e Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal (Redd+).
Segundo a ministra, o Brasil tem condições de exercer uma posição "protagônica" nas negociações. De acordo com Izabella Teixeira, o Brasil também vai mostrar que vem cumprindo o compromisso assumido de redução das emissões de gases de efeito estufa.

Fonte: G1/26.11.2010 (com adaptações)

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Duque de Caxias forma 240 guardas ambientais mirins


Samuel Maia discursa para grupo de alunos em Santa Cruz da Serra

Com a proposta de multiplicar o conceito de preservação ambiental, o Projeto Guarda Ambiental Mirim formou mais 240 crianças do terceiro e quarto distritos de Duque de Caxias nesta terça-feira, 30 de novembro, no Clube Miragem, em Santa Cruz da Serra. A iniciativa, realizada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento (SMMAAA) em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (SME), já formou cerca de 500 alunos só neste ano.
O projeto integra crianças de 7 a 14 anos de escolas do ensino público e de comunidades próximas ao Parque Natural Municipal da Taquara, onde é ministrado o curso. Com duração de três meses, as aulas abordam noções de escoteirismo, primeiros-socorros e educação ambiental, por meio de palestras e atuando na prática. Para Welma Peixoto, a formatura representa muito, segundo ela, seu filho, Maiky Peixoto melhorou na escola depois do curso e tem dado exemplo em casa. “Meu filho está mais consciente, se preocupa com o lixo e as notas dele na escola estão muito melhores”, destacou emocionada.


Welma Peixoto disse que seu filho melhorou as notas na escola

Da solenidade de formatura participaram o secretário municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento, Samuel Maia, a subsecretária municipal de Educação, Myriam Medeiros, e o diretor do Parque da Taquara, Marlos Campos, entre outras autoridades. De acordo com Samuel Maia, a meta de multiplicar o conceito de preservação ambiental foi alcançada. “O projeto começou com 60 crianças, hoje estamos formando a quarta turma integrando a comunidade com a escola”, afirmou.
Na apresentação, os alunos entraram em forma na cerimônia e declamaram o juramento do Guarda Municipal Mirim; ao final os alunos receberam os certificados.

Alunos, tendo a bandeira nacional ao fundo, prestaram juramento do guarda ambiental mirim

Texto: Juliana Albuquerque/Assessoria de Comunicação PMDC
Fotos: George Fant/Assessoria de Comunicação PMDC

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Aumento do nível das águas dos oceanos ameaça países formados por ilhas

Você já imaginou o que é viver num país que pode desaparecer do mapa por causa da mudança climática? Então assista à reportagem exibida no dia 21 de novembro de 2010 no "Fantástico".

Fonte: http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1379297-7823-TERRA+QUE+TEMPO+E+ESSE+FAZ+VIAGEM+ATE+VENEZA+E+VANUATU,00.html

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Mutirão ecológico recolhe uma tonelada de lixo em Xerém

Samuel Maia (à esquerda) comandou mutirão, que reuniu 200 voluntários
O mutirão de limpeza realizado neste sábado, 27 de novembro, na cachoeira de Xerém, com a participação de movimentos populares, organizações não-governamentais e moradores do quarto distrito de Duque de Caxias foi um sucesso. O projeto "Mata Limpa Rio Limpo", da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento (SMMAAA), reuniu cerca de 200 voluntários que passaram a manhã limpando trilhas e córregos da área de proteção ambiental. O lixo recolhido, cerca de uma tonelada, foi retirado por caminhões da Prefeitura.
A ação foi comandada pelo secretário municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento, Samuel Maia, e contou, ainda, com a colaboração de membros do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Duque de Caxias (COMDEMA-DC), do Movimento Ambientalista Brasileiro (MAB) e das ONGs Care do Brasil e A Vida Azul, além de jovens do Processo APELL.
Samuel Maia agradeceu a participação dos voluntários e lembrou o primeiro mutirão, realizado em setembro na cachoeira da Taquara, no terceiro distrito. “Voluntários que aqui estiveram são pessoas preocupadas com a preservação do meio ambiente. Com certeza, nas próximas ações eles estarão presentes e trarão mais colaboradores. Foi um dia de muito trabalho, conscientização e lazer”, ressaltou.
Mutirão ecológico recolheu cerca de uma tonelada de lixo

Texto: Paulo Gomes/Assessoria de Comunicação PMDC
Fotos: divulgação

sábado, 27 de novembro de 2010

A importância da árvore


Amenizam o clima
Uma árvore isolada pode transpirar até 500 litros de água por dia. Além disso, a interceptação solar pelas copas evita o aquecimento dos prédios, cria ambientes que servem de abrigo nas horas mais quentes do dia e diminui as consequências da insolação direta.

Diminuem a reflexão da radiação do sol
Superfícies artificiais refletem até 50% , enquanto a vegetação reflete de 25 a 10% dessa rediação, diminuindo o efeito térmico.

Efeito sobre o regime dos ventos
Podem bloquear ventos frios no inverno e dirigir a entrada de correntes que resfriam o ambiente no verão.

Captação de partículas e gases presentes no ar
Remoção de 1,2 tonelada/hectare de dióxido de carbono.

Conservação da biodiversidade
As árvores servem de refúgio e provêem alimento para consumidores primários (herbívoros) tais como aves e insetos.

Atuam nos aspectos sensorial e estético
Amenizam a aridez e a repetição dos prédios e outras áreas construídas.

Saúde física e mental
Auxilia na recuperação de doentes e tem um efeito restaurador, com mudanças positivas no estado psicológico, no sistema fisiológico (diminui a pressaõ arterial), funcionamento cognitivo e comportamental.

Atendimento às necessidades lúdicas, de recreação e lazer
Os espaços verdes são utilizados para eventos, festas, festivais, shows, entre outras atividades.
Leia mais clicando aqui.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Mutirão de limpeza sábado na cachoeira de Xerém



Movimentos populares, organizações não-governamentais e moradores de Xerém, no quarto distrito de Duque de Caxias, participarão do mutirão de limpeza da Cachoeira da Mata que será realizado neste sábado, 27 de novembro, das 9h às 12h. O projeto Mata Limpa, Rio Limpo, organizado pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento (SMMAAA) pretende reunir cerca de 200 voluntários. A base da operação será no ponto final do ônibus Xerém.


SMMAAA e voluntários limparão trilhas e córregos da área ambiental

A ação será comandada pelo secretário Samuel Maia e contará, ainda, com a participação de membros do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (COMDEMA-DC), do Movimento Ambientalista Brasileiro e das ONGs Care do Brasil e A Vida Azul. Será idêntica à realizada em setembro para limpeza da cachoeira do Parque Natural Municipal da Taquara.
Para o secretário Samuel Maia, a ação visa mobilizar a sociedade e conscientizar a população sobre a importância de não se jogar lixo em áreas de lazer. “O verão está achegando e precisamos manter esses locais limpos. Essas áreas de lazer recebem nos finais de semana milhares de pessoas em grande parte de fora da cidade. Nosso alvo principal são os moradores de outras cidades, já que os residentes nas comunidades da Taquara e Xerém estão sempre colaborando e evitam sujar os locais”, ressalta.

Texto: Paulo Gomes/Assessoria de Comunicação PMDC
Fotos: George Fant/Assessoria de Comunicação PMDC

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Sucesso da COP-16 depende de compromisso e interesse dos países, diz ONU

Logomarca oficial da COP-16. Evento deste ano acontece no balneário mexicano de Cancún
A duas semanas da 16ª Conferência das Partes da Organização das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-16), em Cancún, no México, a secretária executiva da convenção no setor de negociações, Christiana Figueres, destacou que o sucesso dos acordos depende do compromisso dos países. O Brasil deve apresentar mais informações sobre o compromisso assumido na conferência do ano passado, em Copenhague, de reduzir as emissões brasileiras entre 36,1% e 38,9% até 2020.
Segundo Figueres, a indicação de que há interesse no assunto foi dada durante a Cúpula do G20 (que engloba as maiores economias mundiais), na Coreia, quando os presentes demonstraram que o “crescimento econômico” deve ser associado ao “desenvolvimento sustentável do meio ambiente”. As informações são da ONU.
“Cancún vai ser um sucesso, se houver comprometimento das partes”, disse a secretária. "[Os países] têm de equilibrar suas expectativas de modo que cada um leve para casa resultados positivos, permitindo que outros façam o mesmo. É assim que acordos multilaterais são feitos em outros lugares e é assim que tem que acontecer com o clima também."
Como exemplo de esforço para mudar a situação atual, Figueres citou a China, que recentemente anunciou um plano – com prazo de cinco anos para a execução – para o desenvolvimento da economia de energia com alternativas ao desenvolvimento sustentável.
“Somente uma resposta sustentada e cada vez mais ambiciosa a longo prazo para a execução de propostas relativas às alterações climáticas vão permitir um ajuste bem sucedido a outras grandes mudanças políticas, econômicas e sociais”, disse Figueres.
A 16ª Conferência das Partes da Organização das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-16) ocorrerá no período de 29 novembro a 10 de dezembro. O objetivo é adotar medidas mundiais que possam reduzir o aquecimento global e minimizar o aumento da temperatura.
O Brasil deve apresentar ainda, durante a COP-16, o Fundo Nacional sobre Mudança do Clima que prevê orçamento inicial de R$ 226 milhões, a maioria vindo de recursos do petróleo.
Texto: Renata Giraldi/Agência Brasil/16.11.2010

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Meio Ambiente forma segunda turma de guardas mirins de 2010

Alunos durante solenidade de formatura em dezembro de 2009
Com festa no ginásio do Clube Mirage, em Santa Cruz da Serra, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento (SMMAAA) diploma nesta terça-feira, 30 de novembro, a segunda turma de 2010 do projeto Guarda Ambiental Mirim. Estarão recebendo certificados 240 jovens de 7 a 14 anos, alunos das redes pública e privada do município. A solenidade será presidida pelo secretário Samuel Maia. O projeto conta com apoio das empresas Dolly e Mabel, que têm fábricas no município e devem manter a parceria no ano que vem.
Durante o curso, que tem duração de três meses, os alunos recebem noções de educação ambiental, monitoramento de trilhas, primeiros socorros, ciclo da água, produção de mudas da Mata Atlântica e escotismo. Recebem, ainda, aulas de geografia e história do terceiro distrito do município, onde estão localizados grandes polos ecológicos, como o Parque Natural Municipal da Taquara e a Reserva Biológica Municipal do Parque Eqüitativa. Eles também participam de passeios, assistem a vídeos e são orientados, como multiplicadores, a repassar os conhecimentos em suas comunidades.
Participam dessa etapa alunos das escolas municipais Barro Branco, Santo Agostinho, Coração de Jesus, Santo Amaro, Santa Rita, Sergipe, Oswaldo Aranha, Dr. Ely Combat, Professora Maria de Araújo, Brasil-Itália e da Escola Estadual Padre Anchieta. As aulas são ministradas no Parque da Taquara.


Turma também conta com meninas na proteção ao meio ambiente

Texto: Paulo Gomes/Assessoria de Comunicação PMDC
Fotos: Willy Rangel/arquivo/15.12.2009

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Membros do Conselho de Políticas Agrícolas são empossados


Público prestigiou solenidade de posse do COMPADER

O primeiro Conselho Municipal de Política Agrícola e Desenvolvimento Rural (COMPADER) de Duque de Caxias dos últimos 10 anos foi empossado nesta sexta-feira, 19 de novembro, na Associação dos Antigos Funcionários do Banco do Brasil (AAFBB), em Xerém. A cerimônia foi presidida pelo secretário municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento, Samuel Maia, que empossou 33 membros, entre representantes do poder público e da sociedade civil, eleitos na 2ª Conferência Municipal de Política Agrícola e Desenvolvimento Rural, em setembro.
Os novos conselheiros tomaram posse para cerca de 100 presentes à solenidade. "O evento marca um processo de mais de 10 anos em favor das questões rurais do município. Com destaque na produção de leite, hortaliças, queijo e peixe. O município é um grande atrativo e, nesse contexto, o novo Conselho pretende preservar as regiões rurais e seus produtores, além de discutir planos de ação voltados para solucionar os problemas existentes", destacou o secretário Samuel Maia.


Samuel Maia: "Este é o primeiro Conselho [de Agricultura] do século XXI"

Para o secretário, é fundamental pensar em preservação ambiental para proteger a questão rural. “Esse é o primeiro conselho do século XXI, isso representa mais do que preservação ambiental, porque vamos defender o nosso povo e a nossa região”, destacou. Entre as metas do novo conselho estão à implementação da Lei Federal 11.947/09, da alimentação escolar, o desenvolvimento da região, a emissão da DAPs (Declaração de Aptidão ao Pronaf) e a criação do distrito rural.
Em paralelo, Miguel Bezerra, produtor rural de Capivari, falou sobre as dificuldades e as expectativas com o novo conselho. “Estou com fé de que as coisas no campo vão melhorar, acredito nesse trabalho”, afirmou.
Ao final da cerimônia, os 33 conselheiros receberam das mãos do secretário a nomeação. O primeiro membro empossado foi a engenheira agrônoma Marcela Monteiro, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento (SMMAAA). Em seu discurso, Marcela encorajou os conselheiros para o trabalho. “Peço a todos que se empenhem para podermos fazer um bom trabalho; fui eleita e vou trabalhar com responsabilidade”, ressaltou.
As reuniões do COMPADER acontecem sempre na última terça-feira de cada mês, e o próximo encontro da nova composição acontecerá no dia 30 de novembro, no Núcleo de Agricultura e Abastecimento da SMMAAA, em Xerém, localizado na Praça Engenheiro Leão de Moura.

Marcela Monteiro, da SMMAA, foi a primeira a ser empossada

Texto: Juliana Albuquerque/Assessoria de Comunicação PMDC
Fotos: George Fant/Assessoria de Comunicação PMDC

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Empossado Conselho Municipal de Agricultura

Samuel Maia fala durante solenidade de posse do COMPADER


Foi empossado nesta sexta-feira, 19 de novembro, o novo Conselho Municipal de Política Agrícola e Desenvolvimento Rural (COMPADER) de Duque de Caxias.
A solenidade aconteceu na Associação dos Antigos Funcionários do Banco do Brasil (AAFBB), em Xerém, no mesmo local onde há quase dois meses aconteceu a 2ª Conferência Municipal de Política Agrícola e Desenvolvimento Rural, em que foi eleita a atual composição do COMPADER.
Os conselheiros titulares e suplentes foram empossados e diplomados pelo secretário municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento, Samuel Maia, que pediu o empenho de todos na luta pela agricultura em Duque de Caxias.


Carlos Pedro, da Emater, fala na abertura da solenidade de posse




O conselheiro suplente Miguel Francisco Bizerra também falou
durante solenidade de posse do COMPADER

Prestigiaram a solenidade de posse do COMPADER representantes do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente, do Conselho Comunitário de Segurança, da FUNDEC, da Secretaria Municipal de Transportes e Serviços Públicos e da Defesa Civil.


A conselheira Tania Maria Stofeles recebe certificado das mãos de Samuel Maia

Governo
Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento: Marcela Teixeira Monteiro (titular) e Renata Briata da Conceição (suplente)
Secretaria Municipal de Educação: Norma Sueli dos Santos (titular) e Elaine Cristina da Silva Machado (suplente)
Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos: Leonardo Felipe de Oliveira Ribas (titular) e Lívea Cristina Rodrigues Bilheiro (suplente)
Secretaria Municipal de Saúde: Luiz Carlos Luz (titular) e Robson Luiz Correa de Paula (suplente)
Secretaria de Municipal de Obras e Urbanismo: Carlos Sérgio Mendonça Dacier Lobato (titular) e Mauri Vieira da Silva (suplente)
Secretaria Municipal de Habitação: Elisângela Aparecida Locateles Silva (titular)
Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Rio de Janeiro (EMATER-RIO): Carlos Pedro Toledo Félix (titular) e José Erivaldo de Barros (suplente)
Secretaria Municipal de Trabalho, Emprego, Renda, Ciência e Tecnologia não enviou nomes até a data da posse;
Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão não enviou nomes até data da posse.
Sociedade civil organizada
Segmento Associações Rurais
Cooperativa Agrícola Mista de Duque de Caxias (COOPERDUC): Edson Lino Correia (titular) e Serafim Correia Pinto (suplente)
Associação Comunitária Rural Fazenda Cachoeira (ACORFAC): Carlos Alberto de Almeida Araújo (titular) e Ricardo dos Santos Borges (suplente)
Associação Rural de Capivari (ARC): Eduardo Augusto Galio (titular) e Miguel Francisco Bizerra (suplente)
Associação dos Produtores Rurais Terra Prometida (APRTP): Tania Maria Stofeles (titular) e Paulo Cesar de Oliveira Pacheco (suplente)
Artur Carvalho Magalhães (Cooperativa de Aqüicultores e Produtores Rurais – COOPEBIO, titular) e Centro de Defesa da Vida (CDVIDA, suplente)
Ana Doval Rojas (Trama Ecológica, titular) e Maria do Carmo Alves de Arruda (Associação de Moradores e Moradoras Pró-Melhoramentos do Amapá – AMPA, suplente)
Hilton Ferreira dos Santos (Associação Cultural A Vida Azul, titular) e Ronison Bacarini Albino (Movimento Ambientalista Brasileiro – MAB, suplente)
Segmento Sindicato de Trabalhadores Rurais
Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Duque de Caxias: Antonio Abrão Silva (titular) e Luiz Formoso Antunes de Sousa (suplente)
Segmento Sindicato de Produtores Rurais
não participou da 2ª Conferência Municipal de Política Agrícola e Desenvolvimento Rural, nem enviou representantes para integrar o COMPADER
Texto e fotos: Willy Rangel

sábado, 20 de novembro de 2010

Ecossocialismo

Leia o texto "Ecossocialismo", de Michael Löwy, pesquisador do CNRS, em Paris, militante da 4ª Internacional e autor de vários livros: “O pensamento de Che Guevara”, “A teoria da revolução no jovem Marx”, “Dialética e Revolução”, “Marxismo e Teologia da Libertação”, “A Guerra dos Deuses”, etc.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Conselho de Política Agrícola empossa membros nesta sexta-feira

Será nesta sexta-feira, 19 de novembro, a posse do novo Conselho Municipal de Política Agrícola e Desenvolvimento Rural (COMPADER) de Duque de Caxias. A solenidade acontece às 16h, na sede da Associação dos Antigos Funcionários do Banco do Brasil (AAFBB), em Xerém, e será presidido pelo secretário de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento, Samuel Maia. Serão empossados 18 membros representantes do poder público e da sociedade civil, eleitos na 2ª Conferência Municipal de Política Agrícola e Desenvolvimento Rural, realizada em 27 e 28 de setembro. A primeira foi realizada há mais de dez anos.
As reuniões do Conselho são realizadas uma vez por mês e a próxima está marcada para o dia 30 de novembro na AAFBB. Os conselheiros discutem as metas e os planos de ação para enfrentar os problemas existentes na área rural, além de indicar prioridades de atuação do governo municipal, como ficou definido na conferência. Entre as metas estão a implementação da Lei Federal 11.947/09 de alimentação escolar, o desenvolvimento da região, a emissão da DAPs (Declaração de Aptidão ao Pronaf) e a criação do distrito rural.
“Com a participação efetiva do poder público, dos agricultores e de representantes da sociedade civil organizada vamos avançar muito nas áreas de agricultura familiar e sustentabilidade, incentivo agrícola, assistência técnica, crédito rural e comercialização de gêneros alimentícios para merenda escolar, entre outros benefícios. Vamos priorizar ainda a inspeção sanitária de produtos de origem animal, a cidadania rural com educação, saúde e ação social no campo”, ressalta Samuel Maia.

O COMPADER conta com os seguintes representantes:

Governo
  • Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento
  • Secretaria de Educação
  • Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos
  • Secretaria de Saúde
  • Secretaria de Obras e Urbanismo
  • Secretaria de Habitação
  • Secretaria de Trabalho, Emprego, Renda, Ciência e Tecnologia
  • Secretaria de Planejamento e Gestão
  • Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Rio de Janeiro (EMATER-RIO)

Sociedade civil

Segmento Associações Rurais

  • Cooperativa Agrícola Mista de Duque de Caxias (COOPERDUC) - titular e suplente
  • Associação Comunitária Rural Fazenda Cachoeira (ACORFAC) - titular e suplente
  • Cooperativa de Aqüicultores e Produtores Rurais (COOPEBIO) - titular
  • Centro de Defesa da Vida (CDVida) - suplente
  • Associação Rural de Capivari - titular e suplente
  • Associação dos Produtores Rurais Terra Prometida (APRTP) - titular e suplente
  • Trama Ecológica - titular
  • Associação de Moradores e Moradoras Pró-Melhoramentos do Amapá (AMPA) - suplente
  • Associação Cultural A Vida Azul - titular
  • Movimento Ambientalista Brasileiro (MAB) - suplente

Segmento Sindicato dos Trabalhadores Rurais

  • Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Duque de Caxias - titular e suplente

Segmento dos Produtores Rurais

  • não enviou representante

Texto: Paulo Gomes/Assessoria de Comunicação PMDC

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Lixões do Brasil devem ser substituídos por aterros sanitários até 2015

Estados e municípios terão até agosto de 2011 para elaboração de planos de gestão de resíduos


A implementação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, sancionada em agosto e ainda sem regulamentação, terá como grandes desafios a gestão compartilhada, o prazo para substituição de lixões por aterros sanitários e a ampliação e melhoria da produtividade da coleta seletiva. As metas foram listadas no início deste mês pelo secretário de Recursos Hídricos e Ambiente Urbano do Ministério do Meio Ambiente, Silvano Silvério.
O secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente, José Machado, disse que a regulamentação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, que tinha prazo de 90 dias, contados a partir de 2 de agosto, será concluída até o fim deste governo e assinada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O Ministério discute o decreto com entidades do setor de gestão de resíduos.
Segundo Silvério, estados e municípios terão até agosto de 2011 para elaboração de planos de gestão de resíduos, eliminando os lixões até 2015. O governo deverá estimular projetos compartilhados entre municípios e estados e iniciativas intermunicipais, reduzindo custos operacionais.
Evitar que os aterros voltem a se transformar em lixões por falta de gestão também é uma das preocupações do governo. Entre as possibilidades para garantir a sustentabilidade financeira dos empreendimentos estão o aproveitamento do metano liberado pelo lixo para produção de energia e a criação de estímulos fiscais vinculados à manutenção dos projetos.
Durante a apresentação, o secretário também apontou a necessidade de ampliação e melhoria da qualidade da coleta seletiva. Dos 5.565 municípios brasileiros, cerca de 900 mantêm o serviço e apenas 12% do que é coletado é de fato reciclado.

Fonte: Globo Rural Online/08.11.2010

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Novo Conselho Municipal de Agricultura assume nesta sexta-feira

Está marcada para esta sexta-feira, 19 de novembro, às 16h, a solenidade de posse dos conselheiros eleitos para o Conselho Municipal de Política Agrícola e Desenvolvimento Rural (COMPADER) de Duque de Caxias durante a 2ª Conferência Municipal de Política Agrícola e Desenvolvimento Rural, realizada em 27 e 28 de setembro em Xerém.
Os novos conselheiros, com mandato até 2012, tomarão posse na Associação dos Antigos Funcionários do Banco do Brasil (AAFBB), situada à Alameda Santa Alice, 310, Xerém.
Os representantes do governo que participarão do COMPADER já foram escolhidos, assim como as entidades eleitas durante a Conferência de Agricultura, de acordo com o segmento respectivo.
As reuniões do COMPADER acontecem sempre na última terça-feira de cada mês; o primeiro encontro da nova composição do COMPADER aconteceu em 26 de outubro, e o próximo está marcado para 30 de novembro.

Texto: Willy Rangel

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

MDA promove curso de capacitação sobre gripes aviária, suína e equina

Extensionistas serão treinados em novembro para auxiliar agricultores familiares


O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), em parceria com a Secretaria da Agricultura Familiar (SAF) realiza, em novembro, o curso de Educação para Enfrentamento da Pandemia e das Gripes Aviária, Suína e Equina, em 12 estados do Brasil.
Dando continuidade aos cursos iniciados em dezembro de 2009, a ação vai capacitar cerca de 480 extensionistas das empresas estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) para atuar e levar informações aos agricultores familiares sobre as gripes aviaria, suína e equina. Até o mês de maio, já foram treinados 1.375 técnicos, em 37 cursos, abrangendo 24 estados.
Segundo o coordenador de Formação do Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural da SAF/MDA, Francisco Caporal, a intenção é qualificar todos os extensionistas que atuam no campo. “Queremos que o tema entre no cotidiano do técnico da extensão rural de forma que a capacitação contribua de fato com a prevenção das gripes entre os agricultores familiares”, explica.
O curso aborda temas como ações do governo para o enfrentamento das influenzas, situação epidemiológica, características do H5N1 e H1N1, plano de preparação para o enfrentamento das influenzas, biosseguridade em avicultura, doença de newcastle e imunologia de aves e suínos.


Para os cursos foram produzidas duas cartilhas: Manual do Extensionista e A Gripe no Meio Rural,
com tiragem de um milhão e meio de exemplares para distribuição aos agricultores.
Produtores rurais de Duque de Caxias já assistiram à palestra,
ministrada pelo Escritório Local da Emater no município

Fonte: Globo Rural Online/29.10.2010

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Saiu no jornal

Confira matéria publicada no jornal "O Globo" nesta terça-feira, 9 de novembro de 2010, sobre a duplicação da BR-040 na atual pista de descida da Serra dos Órgãos, e a mudança do pedágio, hoje no km 104, para o km 102. Na semana passada, o secretário municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento, Samuel Maia, esteve em uma audiência pública na Câmara Municipal de Duque de Caxias falando sobre a obra.

Petrópolis mais perto
Duplicação de pista e novo túnel reduzirão tempo de viagem do Rio a Petrópolis

O projeto vai duplicar 20 km da rodovia, sobre uma parte do atual trecho de descida da Rio-Petrópolis. A previsão é de quase três anos de obras, a um custo de R$ 670 milhões. A primeira parte da duplicação será feita sobre a pista de descida já existente, com início no km 102, na altura de Xerém. A partir do Belvedere, o traçado será novo. Neste ponto, será escavado um túnel de quase 5 km, o maior do país


Um projeto audacioso promete reduzir em 20 minutos o tempo de viagem e dar mais segurança aos cerca de dois milhões de motoristas que trafegam mensalmente no trecho Rio-Petrópolis da BR-040 (Rio-Juiz de Fora). A concessionária Concer duplicará 20km da pista de descida - a nova via será usada para a subida -, incluindo a abertura de um túnel de 5km, o maior do Brasil numa rodovia. A previsão é que obras comecem em março de 2011 e terminem até o fim de 2013, a um custo de R$ 670 milhões. A antiga subida será preservada e se transformará numa estrada parque, voltada para turismo ecológico, educação ambiental e o lazer.
- O projeto vem ao encontro das necessidades do Rio para a Copa de 2014 e as Olimpíadas. Uma solução que vai beneficiar muita gente, com segurança e rapidez - diz o presidente da Concer, Pedro Jonsson.
A duplicação já estava prevista no contrato de concessão firmado em março de 1996. Os R$ 670 milhões poderão ser parcialmente financiados com recursos do BNDES. De acordo com o presidente da Concer, já existia verba destinada para fazer a nova subida da serra:
Em fase de elaboração do projeto executivo, a obra só depende da licença ambiental. A duplicação começará no km 102, em Xerém, e terminará próximo à Rodoviária de Petrópolis. As duas faixas de descida, sentido Rio, ganharão vias laterais e novas alças de acesso. De Xerém até o Belvedere, o traçado da duplicação acompanhará a atual estrada de descida, aproveitando áreas degradadas. A partir do Belvedere, só na subida, será aberto o túnel, cujo projeto original sofreu modificações por exigência do Ibama.
- Ele estava desembocando dentro da área de proteção do Tinguá - explicou o presidente da Concer.


Novo trajeto será 5 km mais curto

O túnel e as curvas menos sinuosas da nova estrada encurtarão em 5km a viagem de 55km entre o Rio e Petrópolis. A uma velocidade média de 80km/h, o trajeto que antes era feito em cerca de uma hora poderá ser concluído em 40 minutos.
Ao longo dos 5 km do túnel haverá ventilação mecânica, acostamentos e galeria de interligação com a pista de descida. O túnel se estenderá por quase o dobro do Rebouças (2,8 km em duas galerias) e mais que o dobro do Covanca da Linha Amarela (2.187 metros). Segundo Jonsson, o túnel foi a solução de menor impacto ambiental.
- E, apesar da extensão, será menos claustrofóbico do que o Rebouças, por exemplo, onde o tráfego é mais pesado - afirma.
Na saída do túnel, haverá um novo acesso para Petrópolis, e a estrada ganhará um marco arquitetônico: um viaduto estaiado (sustentado por cabos de aço) no trecho final da nova subida da serra. Outra novidade é que o atual pedágio, hoje no km 104, será transferido para o km 102.
- A mudança resolve a situação dos moradores de Xerém, que não precisarão mais passar pelo pedágio para para ir até o centro de Caxias. Eles já não pagavam porque tinham passe livre - disse Jonsson.
Segundo a Concer, o cronograma inicial da obra previa sua realização entre 2001 e 2006. O projeto sofreu revisões em 2000 e o cronograma de execução da nova subida da serra foi transferido para o período de 2017 a 2020. Numa segunda revisão, ainda de acordo com a concessionária, a obra passou para o período de 2012 a 2015. Uma terceira mudança fixou o atual período, entre 2011 e 2013, com redução de um ano para a execução de toda a obra, levando-se em conta o aumento do fluxo de tráfego no trecho e a proximidade da Copa de 2014 e da Olimpíada de 2016.

Fonte: "O Globo", 09.11.2010, p. 13

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Bovespa terá índice para redução de emissões de CO2

Índice Carbono Eficiente (ICO2) será lançado em dezembro e visa a estimular a redução das emissões de gases causadores do efeito estufa

A Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa) terá, até o fim do ano, um índice que contemplará com peso maior ações de empresas com taxas baixas de emissão de dióxido de carbono (CO2). O Índice Carbono Eficiente (ICO2) será lançado em dezembro e visa a estimular a redução das emissões de gases causadores do efeito estufa.

“O índice tem como objetivo trazer o item da mudança climática para dentro das empresas por meio de instrumento econômico, que é a bolsa [de valores]”, explica a diretora de Sustentabilidade da BM&FBovespa, Sonia Favaretto.

Segundo ela, 45 empresas cujas ações estão entre as mais negociadas na bolsa foram convidadas a integrar o índice. Quem aceitar terá que enviar à BM&FBovespa um inventário das emissões.

O gerente de Produtos Ambientais, Energia e Metais da BM&FBovespa, Guilherme Fagundes, disse esse índice será comparado com o de outras empresas do mesmo setor. Se a empresa listada no ICO2 tiver menos emissões que as outras, ganhará maior participação na formação do índice.

“Se eu tinha 5% do índice e passei a ter 6,5%, o investidor que aplicar no ICO2 estará investindo mais na minha ação do que estava antes”, explicou Fagundes sobre o mecanismo de incentivo à redução de emissões.

O gerente disse ainda que a criação do ICO2 é um parceria entre a BM&FBovespa e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Segundo ele, o banco de fomento será o responsável pela criação de um fundo de investimentos referenciado no ICO2. Esse fundo terá cotas negociadas na BM&FBovespa. Portanto, investidores que levam em conta a sustentabilidade das empresas em que aplicam seu dinheiro poderão comprar cotas desse fundo e estimular também a redução das emissões.

Fonte: Agência Brasil

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Febre aftosa: vacinação vai até final do mês

Samuel Maia (à direita), a veterinária Renata Briata e peão na zona rural

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento (SMMAAA) iniciou nesta quarta-feira a segunda etapa da vacinação contra febre aftosa. A exemplo da primeira fase, serão aplicadas, até o final do mês, mais de 12 mil vacinas, atendendo a todo o rebanho do município, sem nenhum custo para os criadores. Para o secretário Samuel Maia, a ação mostra o esforço do governo em cuidar da pecuária e preservar a área rural, beneficiando criadores e agricultores.
O secretário explica que a febre aftosa é uma doença altamente contagiosa que ataca todos os animais de casco fendido - como bovinos, suínos, caprinos e ovinos – e a vacina deve ser aplicada de seis em seis meses. A primeira fase aconteceu em maio.

Sintomas da doença
A elevação da temperatura e a diminuição do apetite são os primeiros indícios da infecção. O vírus ataca a boca, língua, estômago, intestinos, pele em torno das unhas e na coroa. No início, febre com papulas que se transformam em pústulas (cheia de líquido purulento), em vesículas, que se rompem e dão aftas na língua, lábios, gengivas e entre os cascos. O animal baba muito e tem dificuldade de se alimentar, e às lesões entre os cascos dificulta sua locomoção.
Nos dois primeiros dias, a infecção progride pelo sangue produzindo febre; depois aparecem as vesículas na boca e no pé. Também surgem nas tetas. Então a febre desaparece, porém, a produção de leite cai e aparece a mamite com todas as suas graves consequências. A doença também pode provocar abortos.
Em um rebanho contaminado pela febre aftosa, a morbidade é muito alta. Os animais mais afetados são os bezerros em fase de amamentação, pois ao se alimentarem em uma vaca contaminada pelo vírus da aftosa, podem morrer, por não terem desenvolvido ainda imunidade suficiente contra a doença. A mortalidade de maneira geral não é alta e considerada até rara, porém, os suínos e os animais jovens doentes podem morrer de forma rápida, se estão muito debilitados.
A SMMAAA mantém à disposição dos pecuaristas e agricultores um núcleo de atendimento no distrito de Xerém. Os interessados devem se dirigir à Praça Engenheiro Leão de Moura, 4, próximo a Biblioteca Municipal de Xerém, ou ligar para 2679-4292.

SMMAAA espera vacinar todo o rebanho bovino de Duque de Caxias

Texto: Paulo Gomes/Assessoria de Comunicação PMDC
Fotos: George Fant/Assessoria de Comunicação PMDC

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Brasil reciclou 98,2% das latas de alumínio durante 2009

No ano passado, o processo de reaproveitamento movimentou R$ 1,3 bilhão


O Brasil atingiu, em 2009, mais um recorde de reciclagem de latas de alumínio. Foram reutilizadas 98,2% das latinhas vendidas. Ou seja: das 202,5 mil toneladas de alumínio vendidas, foram recicladas 198,8 mil toneladas. A informação foi divulgada no final de outubro pela Associação Brasileira do Alumínio (Abal) e pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Latas de Alta Reciclabilidade (Abralatas).
Na comparação entre 2009 e 2008, a quantidade de latas recicladas aumentou 19,9%. Em 2008, foram reutilizadas 91,6% das latas vendidas pela indústria (cerca de 165 mil toneladas). É possível que esse movimento acompanhe o crescimento das vendas de latinhas, já que, de acordo com a Abralatas, o índice de comercialização desse tipo de embalagem não parou de crescer nos últimos cinco anos. No primeiro semestre de 2010, com o estímulo da transmissão da Copa do Mundo, foram compradas 21,8% a mais de latinhas que no mesmo período de 2009 — e, no segundo semestre, a previsão é que haja um aumento de mais dez pontos percentuais.
“Se toda coleta de latas fosse feita por uma empresa só, ela estaria entre as mil maiores do país”, complementou Henio de Nicola, presidente da Abal. Em 2009, a reciclagem das latas de alumínio movimentou R$ 1,3 bilhão ; desse total, R$ 382 milhões foram gerados só com o trabalho de coleta do material.
Com a reciclagem do alumínio das latas, também foram economizados 2,9 mil gigawatts-hora (GWh), quantidade de energia capaz de atender à demanda anual de uma cidade como Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo, que tem 1,2 milhão de habitantes.

Fonte: Globo Rural Online, com informações da Agência Brasil

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Moradores de Xerém deixarão de pagar pedágio na Washington Luiz

População prestigiou a audiência pública da Concer na Câmara Municipal

Em uma audiência pública realizada na Câmara Municipal de Duque de Caxias na última quarta-feira, 27 de outubro, a Companhia de Concessão Rodoviária Juiz de Fora-Rio (Concer) apresentou aos vereadores e à população o projeto da nova pista de subida da Rodovia Washington Luiz, a BR-040, de Caxias até Petrópolis. Para os duque-caxienses a grande novidade estará no fato de que moradores de Xerém e bairros próximos não passarão mais pelo pedágio para ir ao centro do município ou ao Rio de Janeiro. As obras da construção da nova pista começam em janeiro de 2011 e vão até 2013.
Representando o prefeito José Camilo Zito, o secretário municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento, Samuel Maia, falou sobre a importância das obras para Duque de Caxias. “Esta é uma conquista da sociedade civil. Um momento histórico, pois Caxias deixará de ser uma cidade partida. O morador de Xerém não precisará mais pagar pedágio para ir ao Rio ou ao centro de sua cidade. Tivemos movimentos que visavam à emancipação daquela região. Se isso tivesse acontecido não estaríamos dando esta boa nova hoje, pois o pedágio estaria agora entre dois municípios e sua localização não poderia ser questionada”, declarou Samuel, ressaltando ainda o fato de o projeto ter reduzido impacto ambiental e até contribuir com melhorias ambientais para o município.

Secretário Samuel Maia entre Roberto Huet, do Ibama, e a vereadora Fatinha

O presidente da Concer, Pedro Johnson, detalhou a obra, que irá construir uma nova pista de subida paralela à pista de descida, entre Xerém e Belvedere, em Petrópolis. A partir de Belvedere será construído um túnel que irá cortar a serra até Petrópolis. Será o maior túnel rodoviário do Brasil, com cerca de 5 quilômetros de extensão. Johnson falou sobre as mudanças positivas que a obra acarretará para os moradores de Xerém e bairros próximos. “A nova pista irá separar o tráfego de longa distância do tráfego local, que em Caxias contará com pistas independentes que não passarão pela nova praça do pedágio. Com a obra, os moradores dos bairros próximos ao pedágio poderão circular entre eles sem precisar passar pela rodovia”, descreveu Johnson.
No fim da audiência, o projeto foi aprovado pelos vereadores e pela população presente e foi estabelecida a criação de um fórum permanente para acompanhar o desenvolvimento das obras da nova pista. O fórum é aberto para a participação de todos os interessados e sua primeira reunião deverá ocorrer dentro de 30 dias. Presidida pela vereadora Fátima Pereira, a Fatinha, líder do governo na Câmara, a audiência pública contou também com a presença do coordenador do Núcleo de Licenciamento Ambiental do Ibama no Rio de Janeiro, Roberto Huet Souza; do comandante do 15º Batalhão da Polícia Militar, Sérgio Mendes; do representante da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), José Luis da Rocha, entre outros.

O presidente da Concer, Pedro Johnson, assiste a vídeo de apresentação do projeto

Texto: Vinicius Marins/Assessoria de Comunicação PMDC
Fotos: George Fant/Assessoria de Comunicação PMDC