terça-feira, 22 de outubro de 2013

Energia Renovável .

domingo, 8 de setembro de 2013

Bolsa Verde vai beneficiar 70 mil famílias até final do ano

Programa alia preservação ambiental à melhoria das condições de vida no meio rural

Programa alia preservação ambiental à melhoria das condições de vida no meio rural



Instituído há quase dois anos, o Programa de Apoio à Conservação Ambiental, conhecido como Bolsa Verde, que faz parte do Plano Brasil sem Miséria, beneficia cerca de 42 mil famílias em unidades de conservação e assentamentos, principalmente na Região Norte. A meta do governo é ter, até o fim do ano, 70 mil famílias cadastradas no programa. O objetivo é aliar a preservação ambiental à melhoria das condições de vida e à elevação da renda no meio rural.
Os beneficiários recebem trimestralmente R$ 300 para a conservação dos ecossistemas por meio do uso sustentável dos recursos naturais. Para ser beneficiária do Bolsa Verde, a família precisa ter renda per capita mensal até R$ 70, estar inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e no Bolsa Família. Até o momento, já foram gastos R$ 70 milhões com o programa.
Também é preciso morar em unidades de conservação de uso sustentável – as reservas extrativistas -, em assentamentos de reforma agrária ambientalmente diferenciados, em territórios ocupados por ribeirinhos, quilombolas e outras comunidades tradicionais. Ao assinar o termo de adesão ao programa, com os objetivos e as regras de funcionamento, a família se compromete com a conservação ambiental e o uso sustentável dos recursos naturais.
Segundo o secretário de Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Paulo Guilherme Cabral, o compromisso dessas famílias é não desmatar. No caso da Amazônia, é preciso manter 80% da área de reserva legal. “Esses territórios já têm uma exigência ambiental maior, por isso as famílias tendem a ter uma limitação de renda. Se pudessem desmatar e colocar pastagem ou outra atividade econômica, poderiam auferir maior renda de imediato. O programa dá uma ajuda econômica para que não precisem desmatar”, disse o secretário.
Os governos federal, estaduais e as prefeituras iniciaram em julho e devem concluir até o início de outubro uma busca ativa para identificar novas famílias que possam ser beneficiadas. “É a etapa mais complexa, já que essas comunidades estão em regiões de difícil acesso,” explicou Cabral.
 Em uma segunda fase do programa, até 2014 serão capacitados 300 educadores para que possam transmitir conhecimento a 10 mil beneficiários do Bolsa Verde, em um curso de 180 horas de manejo sustentável dos recursos naturais. “Agora, entramos nessa nova etapa de como as famílias podem incrementar sua atividade produtiva, beneficiar a produção e melhorar a comercialização dos seus produtos”, disse o secretário.
Segundo ele, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária está contratando assistência técnica diferenciada para que as famílias sejam apoiadas tecnicamente no uso sustentável dos recursos. “É uma assistência técnica orientada para a realidade deles”, ressaltou.
O gestor da Reserva Extrativista (Resex) Tapajós Arapiuns, no oeste do Pará, Mauricio Santamaria, disse que 1.400 das 4.851 famílias da reserva recebem atualmente o Bolsa Verde. “Estamos indo a campo para identificar novos beneficiários que vivem em lugares muito remotos”, acrescentou.
De acordo com Santamaria, a taxa de desmatamento é muito menor por causa do programa, visto que as famílias protegem as áreas da invasão do agronegócio. “As ações de capacitação e assistência técnica para acessar mercados diferenciados dos produtos extrativistas ajudam a manter a floresta em pé,” disse o gestor, ressaltando que os óleos de copaíba e andiroba, a borracha, o artesanato e o mel são os produtos de destaque da Resex.
Segundo o MMA, o programa prevê dois sistemas de monitoramento para verificar se as comunidades beneficiadas estão cumprindo o acordo de conservação ambiental das áreas em que vivem. O monitoramento da cobertura vegetal já é feito por imagens de satélites e o monitoramento por amostragem será realizado in loco por meio de visitas periódicas aos beneficiários a partir de 2014.
“Tivemos apenas duas áreas em que verificamos desmatamento e estamos indo a campo averiguar o motivo. O que houve foi muito pontual. As próprias famílias passam a ser fiscais de ações predatórias porque estão se beneficiando do programa,” disse o secretário Paulo Cabral.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Projeto que estava pronto e pago, finalmente é implantado

Finalmente, após vários adiamentos, o Projeto elaborado pela Secretaria de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento com a Secretaria de Ação Social e Direitos Humanos, na época de sua formulação e conquista de financiamento, eram Secretários Samuel Maia e Claise Maria, respectivamente, foi implantada nesta quinta-feira
A agricultura familiar em Duque de Caxias, neste últimos quatro anos, desde que o Samuel Maia, então Secretário, solicitou a responsabilidade do setor, tem recebido todo o apoio por parte da prefeitura, não só incentivando os pequenos produtores, como também criando novos espaços para que possam comercializar o que produzem. A partir desta quinta-feira (29/8), na Praça da Rua 2, em Jardim Primavera, será aberta uma feira que funcionará toda segunda quinta-feira do mês.

 
A Feira Popular de Agricultura começa a funcionar com 56 barracas para comercialização de produtos agrícolas produzidos na zona rural do município, como os dos assentamentos Piranema e Terra Prometidas, Xerém, Capivari, Tabuleiro, Saracuruna e Vila Maria Helena. Da feira participarão também mulheres do Fórum de Economia Solidária, reconhecida por decreto elaborado e publicado por Samuel Maia, com barracas de artesanato, bijuterias e doces caseiros.
Resultado de uma parceria da secretaria municipal de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento e Ação Social, através do DESANS,  com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, a feira tem entre seus objetivos não só ampliar a comercializados de produtos agrícolas, mas atrair o consumidor do município a investir em alimentos saudáveis, sem agrotóxicos.
No Caxias Shopping todo primeiro domingo de cada mês, já funciona há três anos uma feira do produtor rural, que tem a mesma proposta da que será montada no Jardim Primavera. Segundo o Professor Samuel Maia, a conquista é de toda a sociedade que demonstra que o trabalho sério dá resultados..

Duque de Caxias - CIDADE INSUSTENTÁVEL

Produzido para falar bem da desastrosa administração municipal de Alexandre Cardoso, o caderno especial do Jornal Extra de 25 de agosto de 2013. foi uma tentativa frustrada, de promoção do risível governo atual, demonstrando uma total falta de projeto de cidade Sustentável para o município da baixada.

Alexandre Cardoso e Cabral, parceiros na política

Descompromisso com a Coleta Seletiva

Além de não dar seguimento ao Projeto Piloto de Coleta Seletiva,  que vinha sendo tocado com a participação social e contava com quatro caminhões novos, o atual prefeito Alexandre Cardoso anunciou no caderno promocional citado, que irá incinerar o lixo. Esta proposta além de atrasada é criticada pelos maiores especialistas sobre o tema. Mas, atende a interesses econômicos da máfia do lixo.

Alexandre Cardoso, Minc e os Petistas nomeados sem competência

Secretaria de Meio Ambiente virou Cabide de Empregos

Segunda-Feira, dia 26 de agosto de 2013, 10 horas da manhã, nomeados de Alexandre Cardoso, com bermudas e chinelos, fazem política partidária em botequim no centro de Duque de Caxias. Além de entregar a importante pasta ao PT, a mesma não funciona e ex-secretário de Meio-Ambiente de Washingthon Reis, flana com desenvoltura fazendo lobby para empresários. A Secretária ilhada em sua incompetência nada realiza, pois, o compromisso é o contra-cheque dos companheiros.
Enquanto isto, crimes ambientais, Unidades de Conservação Abandonadas e Projetos ganhadores de prêmios deixados de Lado.

Esta é a nova cara do ambiente duquecaxiense, retrocesso e utilização do espaço público como assento de incompetentes.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Samuel Maia: REDE SUSTENTABILIDADE APÓIA EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QU...

Samuel Maia: REDE SUSTENTABILIDADE APÓIA EDUCAÇÃO PÚBLICA DE QU...:  Coletivo Estadual Que Deliberou Sobre a Nota - Momento Histórico O #rede sustentabilidade, seção Estado do RJ, Partido que nasce dentro ...

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Samuel Maia Falará sobre Sustentabilidade em Evento

O maior evento, organizado por unidade escolar de Duque de Caxias, contará com Palestra do Professor Samuel Maia, Especialista em Gestão Ambiental e sua ampla experiência sobre o tema. O Evento acontecerá entre nos dias 26, 27 e 29 de Agosto de 2013 no Colégio Casimiro de Abreu (COCA). 
  • Endereço: R. Cel. João Teles, 250 - Centro, Duque de Caxias, 25020-180
    Telefone:(21) 2771-9121 Email.: caxiasmaisverde@gmail.com


  • SEMANA DE MEIO AMBIENTE - (26, 27 e 28 de Agosto de 2013)
    PROGRAMAÇÃO
    PALESTRAS SEGUNDA – FEIRA (26/08)
    08h00min – Abertura do evento com alunos do curso de Meio Ambiente do Colégio Casimiro de Abreu.
    10h – "Ciência e Ativismo voluntário mudando o mundo: Cites 2013 e a Cop 16 – Uma visão de dentro" (Paulo Guilherme Pingüim Criador a ONG Divers for Sharks, Ativista, Instrutor de Mergulho).
    11h30min - Introdução a Paleontologia e utilização de tomografia computadorizada em estudos de vertebrados fósseis. (Bruno Cláudio pesquisador Museu Nacional)
    MINI CURSOS
    ·          “Técnicas de prevenção, segurança e primeiros socorros em ambientes silvestres.” Paulo Guilherme Pingüim - Divers for Sharks; (Prático – máximo de 20 alunos) Horário: 13 às 18hrs
    PALESTRAS TERÇA – FEIRA (27/08)
    08h – “Energia Alternativa” (Alexandre Takio – UTB Coordenadoria de Ambiente)
    09h30min – "Teorias contraditórias do aquecimento global" (Bruno Fico – Projeto Ciclo Local)
    10h45min – “Poluição Hídrica” (Yoshiharu Saito – Dir.Téc.Instituto Ambiental Conservacionista 5º Elemento) 
    MINI CURSOS
    ·          “Modelos práticos de fontes de Energia Alternativa” Alexandre Takio (Prático – máximo de 20 alunos) 14 às 18hs
    ·          Oficina ECOARTE (Acessórios feitos com sementes e fibras naturais) Bruno Fico (Prático – máximo 20 alunos) 14 às 18hrs
    ·          "Preservação Ambiental Marinha através do Ativismo como ferramenta de transformação para a proteção aos tubarões" Paulo Guilherme Pingüim (Teórico) 14 às 17hrs
    PALESTRAS QUARTA – FEIRA (28/08)
    10h – “Consultoria Ambiental” (Rodrigo Salles – Diretor Empresa Um toque de Biologia)
    11h30min – “Disruptores endócrinos” (Adriana Matos – Mestranda UERJ Engenharia Ambiental e Meio Ambiental)
    13h – “Anfíbios de Mata Atlântica” (Wagner Santos – Pesquisador)
    14h – “Paradigmas para o Desenvolvimento Sustentável” (Samuel Maia - Coordenador do curso MBA Licenciamento Ambiental – Unigranrio)
    MINI CURSOS
    ·          “Saneamento Ambiental com ênfase em poluição de corpos hídricos” Yoshiharu Saito (Teórico) 14 às 17hrs
    ·          “Introdução aos animais peçonhentos” Rodrigo Salles (Teórico) 14 às 17hrs
    VALORES DOS MINI CURSOS
    Alunos do Colégio Casimiro de Abreu - Teórico: R$ 20,00  Prático: R$ 30,00
    Alunos de Outras Instituições - Teórico: R$30,00 Prático: R$ 40,00
    ·          Público Alvo: Alunos de Ensino Médio e Graduandos nas áreas afins com o tema.
    PROFESSORES COLABORADORES
    Sabrina de Sousa (Coordenadora), Ingrid Augusto, Adriana Matos, Valéria Marinho, Lucas Duque.
    Obs1: A entrada das palestras corresponde a garrafas pet (mínimo 3), latinhas (mínimo 5) ou 500ml de óleo de cozinha usado. Estes materiais serão reciclados e assim você estará contribuindo na preservação da natureza.

    Obs 2: Certificado de carga horária complementar para graduandos.

    domingo, 18 de agosto de 2013

    segunda-feira, 29 de julho de 2013

    Fé na Impunidade

    Prefeitura do Rio anuncia que Campo da Fé será transformado em bairro popular


    A quadrilha Cabral, Paes, Carlos Minc e Políticos aliados, continuam a agir, com fé no Deus Dinheiro e na Impunidade.
    Crime no Chamado "Campo da Fé"

    Ironicamente e com as bençãos da máfia criada no Estado no Rio de Janeiro, os crimes continuam e somente o impedimento do atual governador e sua camarilha, é que poderemos ter a esperança de cessar os crimes praticados no Estado.
    Tudo Alagado

    O crime ambiental feito no chamado "Campo da Fé" em Guaratiba, foi tentado em Duque de Caxias, na APA São Bento em 2012. Na ocasião o governo do Estado do Rio de Janeiro, com apoio de Carlos Minc, enviou ofício comunicando ao Ex Prefeito do período 2009-2012 que os entulhos das Obras do Maracanã, Perimetral, Metrô e demais resíduos, iriam ser jogados na área denominada Bomba 1 e Bomba 2, que o ex-Prefeito e membro da máfia do Cabral, Deputado Federal Washingthon Reis, tinha tentado transformar em área industrial.

    Área de Alagamento e APA São Bento

    Imediatamente ao saber da ideia criminosa que Cabral urdia, contra os moradores de Duque de Caxias e seu ambiente, o ex-Secretário de Meio Ambiente Samuel Maia, prendeu meliantes que preparavam o canteiro de trabalho, impediu o aterro e denunciou ao Ministério Público Federal. Juntos o Secretário e o MPF, fizeram ações na área e o Incra recuou na doação da área, mantendo a área de alagamento intacta.
    Ataques ao São Bento Continuam


    Ao não terem alternativa em Duque de Caxias, o Governador e seus cúmplices, conseguiram com o sogro do governador a área em Guaratiba de um milhão e meio de metros quadrados, área esta que é de alagamento e inadequada para aterro. 
    Milhões gastos inutilmente

    Porém, a sana de adoração ao Bezerro de Ouro, ignorou as leis e além de aterrar com material inadequado, apresenta uma ótima opção para negociar com a Caixa Econômica Federal a compra da terra para ali construir um projeto do Minha Casa, Minha vida, certamente com padrão de construção ruim e em condições de habitabilidade indecente, ou seja, política habitacional pobre para os pobres. Esta é a visão e prática de mundo, que Cabral e Aliados tem para o povo.

    População quer Impedimento de Cabral
    Retirado da Internet