quinta-feira, 25 de julho de 2013

Na Luta! Sociedade Civil Consegue Garantir Projeto Ambiental!

Que o loteamento dos governos, entre partidos políticos, é um desastre para as políticas públicas e, assim, não melhorando a vida do povo que sofre, com as nomeações e contratações sem concursos públicos, é público e notório!
Em Duque de Caxias, chegando 08(Oito) meses de governo Alexandre Cardoso, o desastre e descalabro na gestão é de causar horror ao mais cético dos humanos.
Além de não melhorar o que não  servia bem a sociedade, piorou e encerrou programas e projetos  que funcionavam e até ganharam prêmios e notoriedade pela qualidade  oferecida.
Um dos casos mais emblemáticos é na área ambiental, além de irresponsavelmente, mostrando assim, descompromisso com a sustentabilidade ter entregue a um partido (PT), a pasta, nomeou-se e contratou-se com o critério de ser filiado ao PT, os novos ocupantes da pasta, mesmo não tendo qualificação para atuarem na área. A pasta na gestão anterior era austera e nunca passou de 70% as nomeações e contratações a que se tinha direito. Havia apenas 04(Quatro) CC1 - Salário de R$ 4.000,00 e um Subsecretário com salário de R$ 6.000,00. Hoje, além de aumentar para dois Subsecretários com salários de R$ 11.000,00, o número de CC1 subiu para 21, ou seja, piorou a qualidade da gestão e aumentaram as despesas.
Programas e Projetos Ambientais  foram abandonados, dentre Eles o Guarda Ambiental Mirim e a Fábrica de Floresta.

Os dois Projetos eram articulados conjuntamente e foram amplamente divulgados e premiados como mostra matéria publicada no Jornal Extra em 29/09/12 

Duque de Caxias ganha uma "fábrica de verde" e mudas serão usadas para combater a erosão e 

conter encostas

Maria Clara Gueiros, Anthony e o secretário Samuel Maia
Maria Clara Gueiros, Anthony e o secretário Samuel Maia Foto: Roberto Moreyra / Extra
Eletícia Quintão

Duque de Caxias ganhou uma fábrica diferente: a fábrica de floresta. Essa nova área verde, com 140 mil metros quadrados, fica no Parque Municipal da Caixa D’Água, no bairro Jardim Primavera, onde serão plantadas 35 mil mudas até o final de 2013.
A área será reflorestada pela Braskem, empresa produtora de resinas termoplásticas, em parceria com a Prefeitura de Duque de Caxias, o EXTRA e o Instituto Corredor Ecológico Costa dos Coqueiros, que iniciou o projeto em áreas degradadas do município de Camaçari, na Bahia.
— Estou emocionada. É uma iniciativa muito nobre, ainda mais numa área tão castigada — comentou a atriz Maria Clara Gueiros, madrinha do projeto.
As mudas produzidas serão utilizadas para combater a erosão do solo e, consequentemente, os desabamentos de encostas. Além disso, todo ano o projeto vai formar 540 guardas ambientais mirins.
Com as mãos na terra Anthony de Souza, de 12 anos, afirma:
— Estamos plantando o futuro das próximas gerações. Agora, já posso respirar aliviado.

Após 07(Sete) meses de abandono e sumiço dos equipamentos da Fábrica de Floresta em Jardim Primavera, a Organização Não Governamental ISEB, enviou solicitação a Braskem pedindo que fosse feito um trabalho com as crianças de Duque de Caxias e denunciou o abandono das Unidades de Conservação do município aos Conselheiros do Meio Ambiente e Cobrou providências ao Prefeito e a seu Secretariado.
A luta do ISEB foi reconhecida e a Braskem enviou o seguinte e-mail a organização:


A Braskem está apoiando a secretaria de Meio Ambiente na criação de um Programa de Educação Ambiental (PEA) integrado ao projeto Fábrica de Florestas, que hoje encontra-se instalado no Parque da Taquara, já para o segundo semestre. Em breve teremos novidades para compartilhar com todos.

Um abraço,

Cinthia Vargas

A conquista foi comemorada pelos representantes da sociedade civil, porém, apesar da empresa estar fazendo sua parte o questionamento a atual gestão continua, pois, no Parque Natural Municipal da Taquara já existe um Horto, logo, o Prefeito Alexandre Cardoso ao retirar a Fábrica de Floresta de Jardim Primavera, cometeu um erro basilar de descentralização de equipamentos públicos e distanciou do Parque Natural da Caixa D'água uma produção de mudas para reflorestamento. Fica ainda a pergunta: Onde estão as Lonas Ecoculturais que já haviam sido pagas pelo Secretário de Meio Ambiente  anterior e bastava instalar?

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir